🍸 Mais 3 Drinks clássicos que você precisa saber fazer

🍸 Mais 3 Drinks clássicos que você precisa saber fazer

Dando continuidade ao post dos 3 drinks clássicos que você precisa saber fazer, continuamos a lista aqui com outras 3 lendas da coquetelaria.

Vamos começar falando do Dry Martini.

Dry Martini

Por onde começar no Dry Martini? De todos os coquetéis clássicos no mundo das bebidas, poucos são tão famosos, mas tão raramente pedidos no bar.

Atualmente, quando se diz Martini, geralmente significa Dry Martini. Em alguns livros antigos, são duas bebidas diferentes. Hoje em dia, se você pedir um Martini, receberá um Dry Martini.

Não há absolutamente nenhuma maneira errada de fazer um Martini. Sua versão favorita provavelmente existiu em algum momento na história da bebida.

Mas vamos contar a história, começando pela parte do “Martini”, antes da “Dry”.

Há uma história que, aparentemente, Johann Paul Aegius Martini (1741-1816), um compositor da Baviera, emigrou para a França em 1758 e segundo um relato biográfico, sua bebida favorita era gin e vinho branco.

Esta história não é muito documentada e não parece muito confiável, até porque naquela época o Gin que conhecemos hoje na verdade era Genebra (uma bebida destilada a partir de cereais e bagas de zimbro) . Além disso, a coluna de destilação que tornou prática a produção das bebidas neutras não foi desenvolvida até a década de 1820.

A principal teoria é de que “Martini” é uma variante da palavra “Martinez”, outro drink da época. David Wondrich observa que havia um juiz chamado Martine andando no Manhattan Club em meados do século XIX e que seu nome poderia ter algo a ver com o Martini.

Em 1888, Harry Johnson escreveu umas das primeiras receitas de Martini:

Cocktail de Martini
Encha o copo com gelo;
2 ou 3 traços de xarope de goma (tenha cuidado para não usar muito);
2 ou 3 traços de bitter (Boker’s);
1 pitada de curaçao ou absinto, se necessário;
½ copo de vinho de Gin;
½ copo de vinho de Vermute.
Mexa bem com uma colher; coe em um copo de coquetel;
Coloque uma cereja ou uma azeitona de tamanho médio, se necessário;
Esprema um pedaço de casca de limão por cima e sirva.

Harry Johnson, Bartender’s Manual

Já a receita atual, reconhecida pela IBA (International Bartenders Association) é super simples, confira:

  • 60 mL Gin
  • 10 mL Vermute seco
  • Despeje todos os ingredientes na coqueteleira com cubos de gelo.

    Mexa bem. Coe no copo de martini gelado. Esprema óleo da casca de limão sobre a bebida ou decore com azeitona.

Gin Fizz

O Gin Fizz é originário do século XIX e é um coquetel “azedo” com adição de água com gás. Quando a água com gás se tornou amplamente disponível e popular, os bartenders obviamente a usaram para fornecer novos sabores e experiências. O bom da água com gás é que ela é efervescente e ajuda a liberar os aromas do Gin, ou qualquer outra bebida que você esteja bebendo. Ao pegar um Gin Sour básico e adicionar a água com gás, esse coquetel se torna uma variação nova e interessante — pelo menos em meados dos anos 1800.

Gin Fiz no livro Bartender’s Guide, de Jerry Thomas, 1887

Se você conhece um bom barman, tente pedir algumas variações do Gin Fizz. Por exemplo: um Gin Fizz batido com clara de ovo torna-se um Silver Fizz e quando é misturado com uma gema de ovo, torna-se Golden Fizz. O uso de um ovo inteiro faz do coquetel um Royal Fizz. Quando você substitui a água com gás por champanhe, ele se torna um Diamond Fizz. Já se você adicionar uma pitada de creme de menthe a um Gin Fizz, ele se torna um Green Fizz.

Historicamente, essas bebidas são todas baseadas na Soda de Limão, que iniciou toda a categoria de bebidas gasosas no início do século XIX.

A receita atual padrão não foge muito da original, confira:

  • 45 mL de Gin
  • 10 mL de xarope simples
  • 30 mL de suco de limão fresco
  • 80 mL de água com gás

    Misture todos os ingredientes na coqueteleira, exceto a água com gás. Sirva no copo e complete com a água. Decore com um pedaço de limão.

Old Fashioned

Assim como o Gin Fizz, o livro de Jerry Thomas Bartenders Guide: How To Mix Drinks, publicado em 1862, também possui uma receita para um Old Fashioned Holland Gin Cocktail:

“Esmague um pequeno pedaço de açúcar em um copo de uísque com um pouco de água, adicione um pedaço de gelo, dois traços de bitters de Angostura, um pequeno pedaço de casca de limão, um Gin Holland. Misture com uma colher pequena. Sirva.”

Apesar de possuir o mesmo nome e ingredientes semelhantes ao Old Fashioned moderno, a receita de Thomas não exige uísque e não parece influenciar as que vieram depois.

A história da Old Fashioned moderno começa em 1880 em Louisville, Kentucky. Em um artigo de 2005 no The Courier-Journal dá se crédito a um clube privado, chamado The Pendennis Club, por fazer o primeiro Old Fashioned. Diz-se que James E. Pepper, barman e estimado aristocrata do bourbon, inventou a bebida em Louisville, antes de levar a receita para o Waldorf-Astoria Hotel em Nova York. E é aqui que supostamente nasceu o Old Fashioned.

Em 1895, a Modern American Drinks, escrita por George Kappeler, é publicada nos EUA e lista uma infinidade de receitas, uma delas é a do coquetel de uísque Old Fashioned:
“Dissolva um pouco de açúcar com um pouco de água em um copo de uísque; adicione dois traços de Angostura, um pequeno pedaço de gelo, um pedaço de casca de limão e um uísque. Misture com uma colher pequena e sirva, deixando a colher no copo”.

Ou seja, a receita de 1895 já era muito próxima a atual, listada pelo IBA:

  • 45 mL de Whisky Bourbon ou Rye
  • 2 toques de Angostura Bitters
  • 1 cubo de açúcar
  • Um pouco de água

    Coloque o cubo de açúcar no copo e com os bitters, adicione um pouco de água.
    Mexa até dissolver. Encha o copo com cubos de gelo e adicione whisky.
    Decore com uma fatia de laranja e uma cereja.

Compartilhe

Compartilhar facebook
Compartilhar twitter
Compartilhar whatsapp
Compartilhar email

Deixe um comentário

pt_BRPortuguese